Consumo de moda consciente: por onde começar?

Boa tarde meus amores! Tudo bem?

Hoje meu post vai ser falando um pouco sobre moda sustentável.

Essa nova forma de fazer e consumir moda ganha força num momento em que os números que denunciam o desperdício na indústria são gritantes. Só no Brasil, a estimativa é de que cerca de 175 mil toneladas de resíduos têxteis são descartados por ano, dos quais apenas 20% são reutilizados ou reciclados. A maioria é queimada ou vai parar em aterros sanitários, levando centenas de anos para se decompor. Os dados globais também impressionam: segundo da fundação britânica Ellen MacArthur, a cada segundo, o equivalente a um caminhão de lixo cheio de sobras de tecido é queimado ou descartado em aterros. Isso representa 500 bilhões de dólares jogados fora e a emissão de 1,2 bilhão de toneladas de gases de efeito estufa por ano. 

5 iniciativas que estão transformando a moda sustentável no Brasil

Customização das roupas que você já tem no seu guarda-roupa

Resultado de imagem para customização de roupas

 Feiras de trocas de roupas que estão paradas no armário.

Resultado de imagem para feira de troca de roupas

Os brechós ainda são a principal alternativa de consumo consciente.

Resultado de imagem para brechó

Tem roupas de marcas nacionais e internacionais que podem ser alugadas por meio de planos mensais (a partir de R$ 125), que variam de acordo com quantas peças você quer pegar de cada vez. A dinâmica é simples: você escolhe os itens, fica com eles por até 15 dias e depois devolve.

Resultado de imagem para aluguel de roupas proprias

Também são boas alternativas aplicativos como o Roupa Livre, que funciona quase como um app de paquera: você posta as imagens de suas peças usadas, navega entre as milhares de opções (já são mais de 15 mil usuários em todo o país) e, quando der match com quem também se interessou por seus itens, combina a entrega.

Imagem relacionada

Além de diminuir o descarte das roupas, o consumo colaborativo ajuda a democratizar o acesso a marcas mais caras. É o que acontece em empreendimentos como a Roupateca, primeiro guarda-roupa compartilhado do Brasil.

Imagem relacionada

Esse foi o post de hoje!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s